Quanto vale a arte?



Na arte de qualidade - aquela feita com entrega e cuidado - não existe premiação suficiente que possa mostrar que o que se fez é digno de prêmio. O "troféu" está no processo, nunca no resultado. No processo riquíssimo e impagável de encontrar pessoas, de expressar conceitos e ideias, de crescer e fazer crescer outras almas, de celebrar, de sentir, de ser.
Nos parâmetros que são sempre subjetivos e relativos da arte, não há como julgar o que é "melhor". Ainda bem. Pois assim, o "melhor" poderá ficar reservado a ser sempre a arte pela arte. Que é o fim em si mesmo, e pela própria natureza, bela. E gigante. Como gigante é a luz que incide sobre os seus criadores. Como impalpável é o sopro da inspiração.
E se é a arte que dá luz e tom à vida, que seja esta a escolha para os dias de quem a vive, e de quem a pode apreciar e difundir. Benditos sejam os que ousam criar uma obra e com ela desafiar a estabelecida realidade. Ah, a "realidade". Esta tem, invariavelmente, a cara, a cor, a voz e o sabor que lhe damos.

Comentários

  1. O artista transforma a realidade em ficção... ou o contrário...
    Digo eu, que não sou artista...

    Beijo, querida amiga.

    PS: já não vinha aqui há imenso tempo... mas mais vale tarde do que nunca...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe o seu olhar

Postagens mais visitadas