Terra Estrangeira



Esse tempo vem voando, amor
nos levando, nos mandando
Trazendo livros, filhos, vôos, aulas, medos
braços, pernas, olhos,
você, eu e as cidades

Nos arrastando sem
espaço para tantas perguntas
Ficamos pequenos
grãos de poeira voando no vento
Calculando a distância
horas, preços, quandos e porquês

E vem o tempo,
bem a tempo de
Chegar
ficar
partir

Dias caem
folhas passam
correndo do relógio não gasto meus sapatos
E como voa o vento!
Coa o tempo
em birras, gozos, juras
e amor que vai, que foi, que sim.

Me levo, te leva
traga o bottom que se parece
trago o marcador de livro de passarinho
Façamos um ninhozinho
que acalente gente
sirva um aperitivo na varanda
e caiba a rede

Bom dia!
... Mas já é hora de dormir.


Comentários

  1. Oi, Bia.
    Deu saudade de seu blog, de seus textos.
    Foi muito bom ter vindo - adorei o poema.
    Vim também pra te avisar que pretendo usar um comentário seu lá no Bem o mal e a coluna do meio pra uma nova postagem. Mas ainda não comecei. Te aviso quando tiver postado, provavelmente ainda hoje.

    Beijo beijo!

    ResponderExcluir
  2. Olha onde eu vim parar? rss
    Muito gostoso esse espaço de amor e poesia!
    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe o seu olhar

Postagens mais visitadas